Sany fecha acordo com DLL para financiar clientes

Ferramenzza, da Sany, estima que 70% das vendas passem pelo De Lage Landen

A chinesa Sany, fabricante de equipamentos de linha amarela (escavadeiras, motoniveladoras e rolos compactadores), firmou em setembro uma parceria com o banco De Lage Landen (DLL), subsidiária do grupo holandês Rabobank, para financiar seus clientes. O programa de crédito, batizado de Sany Financial Services, é o primeiro passo para a abertura de um banco no Brasil, prevista para 2013.

Concorrendo com pesos pesados como Caterpillar - que já conta com a estrutura de banco comercial no país -, a Sany, sozinha, conseguia parcelar a venda de equipamentos que custam centenas de milhares de reais em, no máximo, seis vezes. A partir da parceria com o DLL, os compradores terão prazos de 12 a 60 meses. Com opções de leasing e Crédito Direto ao Consumidor (CDC), a taxa de juro pode oscilar entre 0,38% ao mês, para financiamentos de até 12 meses, e 1,18% ao mês, para compras financiadas em até 60 meses.

"Queremos vender tanto para a grande empreiteira como para o pequeno agricultor", avisa Guilherme Ferramenzza, diretor financeiro da Sany Brasil. Há pouco mais de um mês, desde que a parceria com o DLL foi firmada, o Sany Financial Services financiou a venda de 25 equipamentos. "A expectativa é que 70% das vendas da filial passem a ser feitas pelo De Lage Landen", afirma Ferramenzza.

Em 2011, a previsão de faturamento da Sany no país é de R$ 200 milhões, quatro vezes superior ao de 2010. Para 2012, a projeção é de receitas da ordem de R$ 500 milhões. Em 2013, a Sany inicia a fabricação de equipamentos em um terreno de 560 mil m² em Jacareí, interior de São Paulo. Dessa forma, o banco que a empresa pretende montar poderá participar também dos programas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A Sany começou a atuar no Brasil em 2007 como importadora de equipamentos e, desde o ano passado, funciona como uma montadora, em São José dos Campos (SP).

Apesar da crise na Europa, não está nos planos do parceiro DLL reduzir sua exposição no Brasil, conta Orlando Ramos, gerente responsável pela unidade de financiamentos de equipamentos para a construção da instituição no Brasil. Mas, para financiar a venda de guindastes, a Sany terá de procurar outros bancos. O DLL já financia esse equipamento para um concorrente da fabricante chinesa.

Paralelamente à parceria com o DLL, que visa ao financiamento de clientes finais (já que a garantia é o bem), a Sany trabalha na constituição de um Fundo de Investimento em Direito Creditório (FIDC) para financiar seus revendedores. Com lançamento previsto para o segundo semestre de 2012, o fundo terá como lastro descontos de recebíveis provenientes das vendas de máquinas. O valor que o patrimônio do fundo poderá alcançar, porém, não foi revelado.

Veículo: Valor - 17/10/2011