Baixo risco leva a uma gorda oferta de crédito

Milton Luiz de Melo Santos: "Vamos financiar franqueados de qualquer segmento, geradores de emprego e renda"

Linhas de crédito mais atrativas e serviços diferenciados integram o pacote de benefícios dos bancos ao segmento de franquias, cada vez mais no foco das entidades financeiras devido ao reduzido risco do negócio. Enquanto a taxa de mortalidade da pequena empresa está em torno de 80% no primeiro ano, a taxa de fechamento das franquias está em 1%, chegando a no máximo 5% nos primeiros cinco anos, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Segundo o consultor de negócios da ABF, Walter Batista, a entidade representativa do setor tem parcerias com diferentes instituições financeiras para o oferta de crédito, incluindo bancos públicos (Banco do Brasil, Caixa e Banco do Nordeste do Brasil) e privados (Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e HSBC). Em abril passado, a Agência de Fomento do Governo Paulista, chamada Nossa Caixa Desenvolvimento, também passou a oferecer uma linha de crédito específica às franquias.

Dados da ABF mostram que o Banco do Brasil (BB) tem 172 redes franqueadoras conveniadas, seguido pelo Banco do Nordeste do Brasil (BNB), com 126 redes de franquias parceiras. Na sequência vem o Bradesco, com 84 redes franqueadoras conveniadas e, depois, a Caixa, com 66 redes em carteira.

O diretor de micro e pequenas empresas do Banco do Brasil (BB), Clenio Severio Teribele, explica que as condições das linhas disponíveis aos franqueados variam conforme o porte, o faturamento, as garantias do contrato e o relacionamento do cliente com o banco. A linha BB Giro Rápido, por exemplo, permite empréstimo até o limite de R$ 120 mil (sendo R$ 100 mil para crédito fixo e de até R$ 20 mil para o crédito rotativo), com taxa de juro de 1,89% a 1,95% ao mês, para as operações com vinculação ao Fundo de Garantia de Operações (FGO) e prazo em até 24 parcelas mensais, com carência de até 59 dias para início da primeira prestação.

As linhas de repasse do BNDES costumam ser mais demandadas pelas franquias nas instituições financeiras consultadas, devido ao menor custo da dívida. O Cartão BNDES, por exemplo, com prazo de pagamento de até 48 meses, tem taxa de juro de 1% ao mês. Outra linha na mira das franquias é o BNDES Automático, com prazo de até 60 meses, mais 12 meses de carência para início do pagamento. Nesse caso, o custo da dívida inclui Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), de 6% ao ano, acrescida de outra taxa de 6,5% ao ano.

A Caixa desenvolveu um pacote de produtos e benefícios chamado Caixa Franquias a partir de uma parceria com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e com a ABF, concretizada em 2007.

O pacote Caixa Franquias inclui linhas de crédito para investimento, capital de giro, seguro, produtos de previdência, antecipação de recebíveis, entre outros. "Quando a pessoa física quer abrir seu negócio, desde que faça parte da rede de um franqueador conveniado à Caixa, tem condições de ser nosso parceiro financeiro para a obtenção de financiamento de longo prazo, com taxas atrativas e outros benefícios", afirma o gerente regional da Caixa, Fernando Tadeu da Costa Passos. Trata-se de um relacionamento diferenciado em relação ao cliente de balcão.

Para os aprovados, a Caixa empresta recursos que variam de 20% a 60% da quantia total para o início do negócio próprio. Tudo dependerá da análise realizada.

Em 2010, a Caixa liberou R$ 457 milhões, distribuídos entre 17 unidades de franqueados e franqueadores. De janeiro a março de 2011, houve incremento de 28% no volume de recursos às franquias, comparado ao primeiro trimestre de 2010. "As franquias estão procurando mais crédito apesar do aumento da taxa de juro no país", diz Passos.

Com 84 redes franqueadoras conveniadas, o Bradesco registrou aumento de 124% na quantidade de clientes com franquias entre dezembro de 2009 e março de 2011. "O potencial do mercado de franquias faz com que o banco ofereça tratamento diferenciado a esse segmento", afirma o diretor de produtos e serviços do Bradesco, José Ramos Rocha Neto. "Além de aprovado pela rede da marca, o franqueado tem um histórico de pontualidade. É um início de relacionamento positivo que deve ser tratado de maneira especial. Para as franquias, há a liberação imediata do crédito, cheque especial, antecipação de recebíveis, entre outros benefícios", completa o diretor do banco.

No Bradesco, ao longo do primeiro trimestre de 2011, as pequenas e médias empresas contrataram 94% das linhas de repasse do BNDES disponíveis no banco. Para as franquias, além dos recursos do BNDES, há linhas diferenciadas. Uma delas empresta até 50% do total do projeto que está sendo montado pelo franqueado. A taxa de juro é de 1,76% ao mês, com carência de seis meses e prazo de pagamento de até 120 meses, limitado ao prazo do contrato de aluguel.

Outra linha, chamada "Compror Franquias", empresta dinheiro ao franqueado para a compra de produtos, à vista, do franqueador, com prazo de pagamento de 90 a 360 dias. O limite do empréstimo e taxa de juro dependerá da capacidade do cliente.

Atento ao potencial do segmento, o Itaú Unibanco viabiliza crédito mais ágil à franquia em processo de constituição, quando comparado às empresas não pertencentes ao regime de franquias. "Não há uma linha específica criada para a franquia, porém a parceria com o franqueador permite conhecer o perfil e comportamento da rede, permitindo melhor análise de crédito", explica o diretor de produtos de pessoa jurídica do Itaú Unibanco, Carlos Eduardo Maccariello.

Segundo o diretor, a instituição financia até 50% do valor da montagem da franquia. Para a segunda ou terceira unidade de um mesmo franqueado, o empréstimo pode chegar a 100%. O financiamento está disponível em diversas linhas. As mais contratadas são de capital de giro, leasing, compror (para compra de produtos dos franqueadores e pagamento de royalties), além dos repasses do BNDES.

O Santander entrou forte na oferta de crédito às franquias, explica o superintendente de pequenas e médias empresas, César Fischer. Em dezembro, divulgou parceria com a rede de escolas de idiomas CNA, com 580 unidades. O acordo inclui taxas diferenciadas para a conta integrada, leasing, linha de capital de giro chamada SuperGiro Premium, com prazo de pagamento de 24 e 36 meses e bonificação em até três parcelas para os clientes pontuais.

Em 2010, o banco teve alta de 22% sobre 2009 no volume de crédito concedido às pequenas e médias empresas. "Estamos olhando com atenção para franquias. Além de boas perspectivas, o segmento nos permite desenvolver relacionamento com uma rede de pequenos e médios empresários", diz.

Veículo: Valor - 31/05/2011