Santander financia US$ 180 mi para a compra de quatro aviões pela TAM

Rangel de Paula, do Santander: TAM está recebendo o crédito das aeronaves "a um valor abaixo do custo do capital dela"

O Santander acaba de fechar com a TAM uma operação de "spanish leasing" para financiar a compra de quatro aeronaves da companhia aérea. O valor total da operação, de US$ 180 milhões, inclui um A321, que foi entregue no final de abril, e três A319, que serão entregues até julho deste ano. Liderada pelo Santander, a operação também envolve o BNP Paribas, o KfW Ipex Bank GMbH e o Credit Industrial et Commercial, que atuaram como financiadores de 85% da dívida.

A TAM é a segunda companhia aérea brasileira a fazer esse tipo de operação. A Azul Linhas Aéreas também utilizou o financiamento de "spanish leasing" do Santander, mas a operação neste caso teve a participação do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), que financiou cerca de 80% do valor de compra de seis aeronaves Embraer 195 para a Azul, avaliadas em US$ 250 milhões.

Para viabilizar a operação com a TAM, segundo o superintendente da Área de Asset & Capital Structuring do Santander, Luis Eduardo Rangel de Paula, o banco criou uma empresa de leasing na Espanha, que comprou os aviões, para depois fazer o aluguel no Brasil.

"Além de estruturador da operação, o Santander também está colocando o capital a um custo mais baixo para a compra do avião", ressalta o superintendente executivo de Corporate & Investment Banking do Santander, Maurício Cesar Farias.

A primeira operação de "spanish leasing" no Brasil foi feita pelo Santander em 2008 e a TAM foi a primeira companhia aérea fora da Espanha a fechar esse tipo de financiamento. Fora do Brasil, segundo Rangel de Paula, o Santander já desenvolveu "spanish leasing" com as companhias Easy Jet, Iberia, Repsol, ArcelorMittal e Air Nostrum.

"A operação com o Santander financia 100% do valor dos aviões e a TAM não precisou colocar nenhum dinheiro no negócio. Além disso, o leasing entra como despesa e não como passivo nas demonstrações de resultado da companhia", disse o vice-presidente de Suprimentos e Contratos da TAM, José Zaidan Maluf.

O pagamento deste leasing pela TAM será feito em parcelas trimestrais por um período de 12 anos. Segundo Maluf, o valor médio dos aluguéis da maioria das operações que a companhia tem contratada giram em torno do pagamento mensal da Libor mais 0,6% ao ano. "Com o Santander, a TAM está recebendo o financiamento das aeronaves a um valor abaixo do custo do capital dela", disse Rangel de Paula.

Nos sistemas tradicionais de financiamento, segundo Rangel de Paula, as agências de crédito cobrem até 85% do valor da aeronave. Se for uma operação de dívida bancária comercial, o financiamento chega a 75% no máximo. O restante tem que ser pago à vista pela companhia aérea.

Segundo o vice-presidente da TAM, Zaidan Maluf, a companhia já fechou todas as operações de financiamento à compra dos aviões que tem a receber durante este ano. A companhia está trazendo oito novas aeronaves para a sua frota em 2011, sendo que quatro vieram através de operação de "spanish leasing" com o Santander, duas do modelo A330 com o apoio de agências de crédito europeias (a Hermes, da Alemanha, a Coface, da França e a inglesa ECGD) e dois A319 com uma agência de crédito japonesa.

"Já recebemos seis e até julho estão previstas mais três aeronaves. Todas elas receberam financiamento através de bancos e quase nenhum capital da companhia", disse Maluf. Além de baratear o custo do financiamento para a compra de aviões, segundo o executivo, essas novas estruturas permitem que a companhia tenha mais dinheiro disponível em caixa para utilizar em outros projetos, como aumento de frota.

O Santander já contabiliza 15 operações de "spanish leasing" de aeronaves em seu portfólio, sendo nove com a TAM e seis com a Azul. Com a TAM, o banco também finalizou uma transação para financiamento de Pre-Delivery Payments (PDP), referente a 21 aeronaves Airbus e seis Boeing.

O executivo da TAM informou que o investimento da companhia em frota este ano totaliza US$ 730 milhões. Em 2012, segundo ele, o valor, a preço de lista, será de US$ 1,7 bilhão e contempla 17 aviões. Até 2015, a previsão da aérea é de uma frota de 182 aeronaves. Atualmente, a TAM possui 155 aeronaves.

Veículo: Valor - 23/05/2011