Bovespa avança e gira R$ 4 bilhões em dia de vencimento de opções

SÃO PAULO – Em um dia marcado pelo vencimento de opções sobre ações na bolsa brasileira, o Ibovespa dá continuidade ao movimento de alta visto nos dois últimos pregões. Embora tenha reduzido uma parte das perdas, o índice está conseguindo defender a linha dos 67 mil pontos.

Com a situação aparentemente mais controlada no Japão, os investidores analisam hoje notícias corporativas no cenário externo e também no Brasil. Vale ressaltar que nesta jornada ainda ocorre o vencimento de opções sobre ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Por volta das 12h40, seu principal índice subia 0,33% e marcava 67.098 pontos, com giro financeiro aproximado de R$ 4 bilhões. O Ibovespa futuro cedia 0,13%.

Em Wall Street, assim como no mercado brasileiro, as bolsas avançam pelo terceiro pregão consecutivo. Há instantes, o índice Dow Jones tinha valorização de 1,57%, enquanto o S&P 500 subia 1,48% e o Nasdaq ganhava 1,91%.

Pior que o esperado, o principal indicador do dia parece não fazer preço nas bolsas. As vendas de casas existentes nos Estados Unidos declinaram 9,6% em fevereiro, depois de três meses seguidos de alta. Os dados partiram da Associação dos Corretores de Imóveis dos EUA (NAR, na sigla em inglês).

No front corporativo, está em pauta a transação feita pela operadora americana AT&T para adquirir a T-Mobile USA, da alemã Deutsche Telekom, por cerca de US$ 39 bilhões.

No Japão, os investidores acompanham as notícias sobre a crise nuclear, enquanto, na Líbia, os conflitos pela saída do ditador líbio Muamar Gadafi ganharam peso com o início dos ataques aéreos da aliança internacional.

“A melhora do Japão se sobressai nos mercados em relação ao início dos combates na Líbia. As commodities começaram o dia em alta, mas já arrefeceram o movimento. A transação da AT&T também melhorou o humor dos investidores. O sentimento é de que, apesar de termos muitas variáveis macroeconômicas incertas, ainda temos elementos microeconômicos importantes ocorrendo, como fusões e aquisições”, observa o gestor da Mercatto Investimentos Bruno Lima.

Na cena local, entre as notícias corporativas do dia, a Gerdau informou que fará uma captação por meio de emissão de ações, conforme antecipou o Valor hoje. A operação será mista, sendo que a oferta primária, em que os recursos vão para o caixa da empresa, deve levantar entre R$ 3,8 bilhões e R$ 4,2 bilhões.

A empresa pretende fazer ainda uma oferta secundária, cujos recursos da oferta secundária serão utilizados pelos acionistas da Gerdau para exercer direito de prioridade na oferta primária. A operação também inclui uma emissão da Gerdau no exterior.

No setor financeiro, o DEG, banco de fomento do governo alemão, fará um investimento no banco Pine de até 20 milhões de euros, por meio de uma aquisição de ações. Serão ofertados 2.422.480 papéis da instituição brasileira, número que corresponde a menos de 5% do capital total.

Há pouco, as ações PN da Gerdau (-3,05%, a R$ 20,65) e da Gerdau Metalúrgica (-2,48%, a R$ 24,38) estavam entre as principais quedas do Ibovespa, junto aos papéis Lojas Americanas PN (-1,54%, a R$ 13,98) e B2W ON (-2,67%, a R$ 23,26).

Na direção oposta, as maiores altas pertenciam às ações TIM Participaçoes ON (4,28%, a R$ 7,79), Brasil Ecodiesel ON (3,44%, a R$ 0,90) e Embraer ON (2,96%, a R$ 14,26).

A empresa vai fornecer 20 jatos para a companhia aérea Alitalia. Por meio de uma operação de leasing estruturada por terceiros, a Alitalia terá 15 jatos Embraer 175 e 5 aviões modelo 190. Tomando como base o preço de tabela das aeronaves, o valor do negócio corresponde a US$ 793 milhões, segundo a assessoria de imprensa da fabricante brasileira.

Minutos atrás, os papéis Vale PNA ainda ganhavam 0,19%, a R$ 46,92, e Petrobras PN subia 0,89%, a R$ 28,15.

Fora do Ibovespa, destaque para a valorização de 5,24% das ações PN do Banco Pine, cotadas a R$ 13,05.

Fluxo externo
Ainda no mercado brasileiro, o fluxo estrangeiro na Bovespa está negativo em R$ 1,364 bilhão no acumulado do mês, até o dia 17, resultado de compras no valor de R$ 22,9 bilhões e de vendas de R$ 24,3 bilhões. Apenas na quinta-feira passada, quando o Ibovespa subiu 0,32%, para 66.215 pontos, o estrangeiro mostrou injeção líquida de R$ 13,7 milhões no mercado.

No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na bolsa brasileira segue negativo, em cerca de R$ 2,15 bilhões.

Veículo: Valor - 21/03/2011