Compras de hotéis crescem em 2011

O número de operações envolvendo aquisições no setor hoteleiro deve aumentar neste ano. Os investidores em imóveis devem reagir às crescentes taxas de ocupação e de preços nas diárias dos hotéis, avalia a consultoria especializada em mercado imobiliário Jones Lang LaSalle.

As aquisições devem crescer entre 15% e 20% neste ano para cerca de US$ 30 bilhões, disse Arthur de Haast, CEO global da unidade de 'broker' de hotéis da Jones Lang LaSalle, ontem em Berlim. Haast participou do Hotel Investment Forum. O volume de negócios deve crescer mais rapidamente na Europa, no Oriente Médio e na África, onde o executivo espera um aumento em torno de 25%.

Os preços das diárias de hotéis devem subir este ano, seguindo um movimento de recuperação do setor de turismo, segundo avaliação feita ontem por cadeias hoteleiras como a Marriott International, a maior rede dos Estados Unidos. A demanda por viagens a lazer também está voltando a mostrar vigor, depois de os consumidores terem cortado gastos durante o período de recessão. A receita por quarto no setor hoteleiro mundial já cresceu no ano passado, segundo a empresa especializada em pesquisas STR Global.

"Em 2011 nós veremos mais negócios que chamamos ativos do tipo secundário", disse o executivo da Jones Lang LaSalle. Os bancos estão estimulando donos de hotéis localizados fora de grandes centros a vender seus ativos, disse ele.

As aquisições de hotéis chegaram a um pico de US$ 120 bilhões em 2007 e não deverão somar mais de US$ 100 bilhões de novo por 5 a 10 anos, observou Haast. O valor total de operações fechadas subiu para US$ 26 bilhões no ano passado, de um patamar de US$ 9 bilhões registrado em 2009.

Muitos dos negócios fechados em 2010 se deram com hotéis de luxo, como a venda do Le Richemond, em Genebra, e do Crillon, em Paris, ou envolveram contratos de leasing já existentes, disse Haast. Neste ano, os investidores estão tomando maiores riscos.
Os mercados emergentes devem liderar o movimento de aquisições neste ano. "Companhias do setor de seguros na China vão comprar hotéis chineses e as seguradoras indianas comprarão hotéis indianos", disse Haast. Jones Lang LaSalle, com sede em Chicago, faturou US$ 2,9 bilhões em serviços para o mercado imobiliário e gerenciamento de investimentos.

Veículo: Valor - 10/03/2011