Concorrentes acirram busca pelo pré-sal

Outras companhias, além da Petrobras, estão na busca de equipamentos no exterior para explorar as águas profundas do pré-sal. O relatório do Banco Central aponta que as outras companhias de petróleo totalizaram mais de US$ 9 bilhões em arrendamento mercantil e leasing de equipamentos de exploração, plataformas marítimas e navios de apoio.

A brasileira OGX Petróleo e Gás registrou duas operações com a norueguesa Diamond Offshore em abril deste ano. O primeiro registro (TA529459) é de US$ 409,24 milhões e o segundo (TA529460) é de US$ 301,2 milhões em arrendamento mercantil e leasing.

Mas os recordes do ano são de multinacionais de petróleo. A Statoil Petróleo Brasil, que pretende explorar inicialmente 100 mil barris por dia, anotou o registro (TA545180) no valor de US$ 3,53 bilhões junto à holandesa South Atlantic, em julho deste 2010.

A Chevron Brasil Upstream Frade registrou quatro operações em junho de 2010, totalizando US$ 3,17 bilhões em arrendamento mercantil e leasing junto à holandesa Frade.

A Shell do Brasil também apareceu no relatório do mês de abril do Banco Central, no registro (TA530130) de entrada de arrendamento mercantil e leasing com valor de US$ 1,6 bilhão em favor da companhia holandesa Tamba.

Veículo: DCI 04/10/2010