Previsão é crescimento de 10% no 2º semestre

Para Barreto, contudo, a aceleração no crescimento das receitas tributárias de julho não deve se manter nos outros meses: - A nossa previsão é que o comportamento das receitas fique estável no segundo semestre em patamar muito próximo ao registrado na primeira metade do ano, ou seja, crescimento real de arrecadação na faixa dos 10%.

Ele afirmou ainda que o aumento da arrecadação decorrente da majoração de alíquotas anunciadas no início do ano como compensação ao fim da CPMF está dentro do planejado.

Para compensar o fim do imposto do cheque, o governo elevou o IOF dos financiamentos e a CSLL das instituições financeiras.
Barreto, contudo, preferiu não comentar a notícia de que o governo estaria estudando um projeto para iniciar a cobrança do IOF sobre o leasing, como forma de reduzir a elevada demanda por financiamentos de automóveis.

Veículo: O Globo O Globo Digital 20/8/08 Estado: SP