Melhora no segmento de duas rodas

Os números do mercado brasileiro de motocicletas indicam evolução em termos de vendas, produção e exportação. Segundo os dados divulgados pela Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), em maio foram faturadas para as concessionárias 165.947 unidades, o que significa um acréscimo de 10,3% em relação ao mesmo mês do ano passado. Quando confrontados com os números de abril, o aumento é de 5,7%.

Com o registro de 167.850 motocicletas, a produção também acompanhou a melhora, apresentando 11,1% de avanço em relação a abril, quando 151.072 unidades saíram das linhas de montagem do Polo Industrial de Manaus. Já no comparativo entre os meses de maio de 2009 e 2010, o aumento é de 12,9%.
 
Aviões flex
 
Depois de liderar a introdução do sistema flex para automóveis, a Magneti Marelli está estendendo a tecnologia multicombustível para motores de aviões.
 
Desenvolvida em parceria com a Divisão de Propulsão Aeronáutica (APA) e com o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), a solução permite que as aeronaves impulsionadas por motor de combustão interna a pistão utilizem gasolina de aviação, álcool combustível ou a mistura em qualquer proporção desses dois.
 
A inovação é exclusiva para aviões pequenos, para os quais a gasolina de aviação, de alta octanagem, gera um custo bastante elevado. Com o motor flex, se abre a possibilidade de aplicação do etanol como combustível, que também oferece alta octanagem, mas com menor custo e a vantagem adicional de ser uma fonte de energia mais limpa.
 
Ciranda financeira
 
A aquisição de veículos a prazo pelas pessoas físicas vem apresentando constante crescimento. De acordo com estudo sobre o primeiro quadrimestre, realizado pela Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), o saldo das carteiras de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e Leasing aumentou 12,8% em relação a abril de 2009, passando de R$ 145,3 bilhões para R$ 163,9 bilhões no mesmo mês de 2010.
 
O montante representa 33,3% do total de crédito destinado às pessoas físicas no Brasil e 5% do PIB. O saldo de CDC teve expansão de 29,3%, saltando de R$ 81,2 bilhões para R$ 105 bilhões. No mesmo período, a carteira de Leasing registrou retração de 8,2%, saindo de R$ 64,1 bilhões para R$ 58,9 bilhões.
 
Cadeia autossustentável
 
A ideia é bem sacada. A empresa Martin-Brower, responsável pelo abastecimento de insumos para o McDonald’s no Brasil, está abastecendo seus caminhões com biodiesel produzido a partir do próprio óleo de cozinha usado na rede de lanchonetes.
 
Exemplo de logística reversa, o processo começa na entrega da matéria-prima nas unidades do McDonald’s, quando a Martin-Brower aproveita para recolher o óleo de cozinha descartado. Esse óleo é levado à sede da transportadora, em Osasco (SP), e depois enviado a uma usina que faz o processo de transformação em biodiesel.
 
O combustível gerado abastece os caminhões, que fazem as entregas seguintes e recolhem mais óleo para alimentar uma nova produção de biodiesel, fechando a “cadeia autossustentável”.
 
O teste já passou por três fases e, atualmente, cinco caminhões da empresa rodam pelo País com esse biocombustível. No momento, 20 lanchonetes do McDonald’s, todas em São Paulo, participam do projeto.
 
O objetivo da Martin-Brower é que 115 das 577 unidades da multinacional do fast food participem do projeto até 2011, substituindo por biodiesel 40% do combustível que abastece a frota de caminhões. Anualmente, a rede McDonald’s gasta cerca de três milhões de litros de óleo de cozinha para a fritura de batatas e empanados.

Veículo: Jornal do Comércio 11/06/2010