Crédito para compra de veículos e imóveis continua aumentando, indica BC

O crédito habitacional e o destinado à compra de veículos continuam a apresentar expansão, com prazos recordes de financiamento, segundo dados do Banco Central (BC) divulgados nesta quarta-feira (26/5).

No mês passado, o saldo do crédito habitacional chegou a R$ 104,070 bilhões, um aumento de 3,3% em relação a março deste ano e de 49,7% na comparação com abril de 2009. No caso de pessoas físicas, o prazo para esse tipo de financiamento chegou 3.578 dias corridos, o maior da série histórica do BC, iniciada em julho de 1994.
 
Para a compra de veículos, o prazo médio chegou a 623 dias corridos, também um recorde histórico. Segundo o BC, o saldo das operações de leasing e financiamentos de veículos chegou, no mês passado, a R$ 64,1 bilhões, uma alta de 2,5% na comparação com março e de 14,7% em relação a abril de 2009.
 
O crédito consignado, por sua vez, deve apresentar redução no ritmo de concessões para os servidores públicos, na avaliação do chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes. “A trabalhadores da iniciativa privada têm ainda muito espaço para demandar essa modalidade”, disse.
 
Em abril, o saldo do crédito consignado para servidores públicos chegou a R$ 102,652 bilhões, enquanto para os da iniciativa privada ficou em R$ 16,188 bilhões. Na comparação com abril de 2009, houve alta de 37,8% no setor público e de 37% para os funcionários das empresas privadas.
 
Lopes destacou que os juros do crédito consignado são “realmente baixos” na comparação com outras taxas do mercado. Em abril, essa taxa média ficou em 26,9% ao ano.
 
Ele recomenda que os consumidores só usem o cheque especial, que tem taxa alta, como “recurso de última instância”. “É uma modalidade caríssima. E as famílias evitam utilizar esse tipo de recurso”. Segundo o BC, em abril, a taxa do cheque especial ficou em 161,3% ao ano.

Veículo: Correio Braziliense 27/05/2010