A melhor forma de financiar um carro

Se você também quer aproveitar a onda do crédito farto para comprar um carro novo, saiba que existem três formas de financiamento no mercado brasileiro. Em geral, a aquisição parcelada de veículos ocorre via Crédito Direto ao Consumidor, o chamado CDC, por meio das operações deleasing ou pelos tradicionais consórcios.

Leasing
 
Aqui, o dono do carro é o banco, que fica com o automóvel em seu nome por um período mínimo de dois anos. O consumidor que opta pelo leasing, também chamado de arrendamento mercantil, aluga o veículo pelo período acordado e tem a opção de comprá-lo quando termina o contrato. Neste momento, o valor das prestações mensais é finalmente abatido e o veículo passa a ser do cliente.
 
Diferentemente do CDC, o leasing é isento de IOF. Além disso, as taxas de juros destas operações costumam sair mais em conta porque os bancos recuperam o carro com facilidade no caso de não pagamento. Como as instituições detém a posse do bem, basta que solicitem uma ordem de reintegração de posse.
 
Por estas razões, o "aluguel" pago pelo veículo é comumente considerado mais barato que o CDC. No entanto, pesquisa realizada pelo Pro Teste (uma ONG de defesa do consumidor) mostrou resultados muito similares para a compra de um mesmo veículo em quatro bancos consultados.
 
Considerando uma entrada de 40% para um carro de 25.000 reais, o custo efetivo total do leasingvariou entre 22,05 e 32,76% ao ano, ao passo que no CDC a variação foi de 19,3 a 39,3%. "O leasing é mais apropriado para pessoa jurídica, já que é possível abater do imposto de renda parte da prestação paga", explica Décio Carbonari de Almeida, da Anef.
 
Como o proprietário de direito é o banco, o veículo não entra no balanço contábil até o fim do contrato. Assim, o carro é considerado uma despesa, e não um ativo, diminuindo os bens da empresa e, por conseguinte, o imposto de renda a pagar. 
 

Mas também há inconvenientes. Não é possível adiantar os aluguéis antes da 24ª parcela, de forma que o cliente fica preso ao contrato e não pode fazer nenhum tipo de negociação com o carro.

Veículo: Portal Exame 15/05/2010