Bancos oferecem cada vez mais produtos para jovens consumistas

Adriana Diniz

RIO - Ao entrar para uma faculdade, o jovem passa a acumular uma série de responsabilidades que até então desconhecia. Uma delas é saber administrar o próprio dinheiro. As contas universitárias, oferecidas por alguns bancos, trazem certas vantagens para quem está iniciando a vida financeira, mas é preciso disciplina para não se deixar levar por ofertas de crédito facilitado, como financiamentos, cartão de crédito e cheque especial com limite pré-aprovado.
 
De acordo com uma pesquisa elaborada pelo Instituto Akatu, com base em estudo realizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), com jovens de 24 países dos cinco continentes, os brasileiros estão no topo dos mais consumistas, à frente de franceses, japoneses, argentinos e americanos. De olho neste público consumista e impulsivo, os bancos vêm criando cada vez mais produtos para atrair os jovens clientes.
 
Segundo Hessia Costilla, economista da Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor), as contas universitárias costumam ser vantajosas, já que há isenções ou desconto em tarifas, assim como algumas linhas de crédito estudantil, com taxas de juros abaixo das praticadas pelo mercado. Mas todo financiamento deve ser avaliado com cautela, para não levar o jovem ao endividamento. No Santander/Real, a contratação de crédito pessoal por universitário aumentou 16% de 2008 para 2009.
 
– É um público com renda instável e baixa, portanto, o melhor é não fazer dívidas. O crédito para financiar a graduação ou cursos de extensão e pós-graduação, geralmente valem a pena, já que os juros são baixos. Mas se a universidade oferecer financiamento direto, sem juros, é melhor – ensina Hessia.
 
O Itaú/Unibanco acaba de lançar uma linha de crédito universitário para financiar até 100% do curso, com taxa de cerca de 8% ao ano, se o estudante financiar o curso todo. De acordo com uma simulação disponível no site da instituição, se a mensalidade da faculdade é de R$ 600, com o financiamento fica a R$ 348 por mês, e o aluno tem o dobro do tempo para pagar.
 
O Santander/Real também tem linha de crédito universitário. O banco, no entanto, não informou a taxa de juros praticada. As duas instituições, além do Bradesco, oferecem financiamento de cursos de extensão, pós-graduação e MBA. Há ainda linhas de crédito para a compra de computadores, material didático, financiamento de viagens, intercâmbio, moradia, consórcio e leasing (contrato de financiamento) de carro, mas a economista Hessia Costilla alerta que esse tipo de endividamento deve ser evitado.
 
– A principal dica é que o jovem segure a ansiedade e economize primeiro para depois comprar. Ele ainda tem tempo para adquirir bens – ressalta Hessia, lembrando que alguns produtos oferecidos como “exclusivos” são apenas jogada de marketing e não trazem qualquer benefício real.
 
Os investimentos, segundo ela, também devem ser avaliados com a ajuda de especialistas, levando em conta não só rendimentos, mas também o perfil do universitário.
 
É preciso saber os serviços incluídos no pacote
 
O diretor do Centro de Cidadania e Defesa do Consumidor, Marcos Zumba, alerta que o universitário deve verificar exatamente quais os serviços incluídos no pacote bancário, para não ser surpreendido por tarifas extras. “Normalmente, o estudante tem um número limitado de transações como saque, extrato e transferências. Se passar daquilo, paga por cada operação extra”, explica.
 
A nutricionista Mariana Fróes, de 28 anos, que já se formou, mas conseguiu manter a conta universitária que tinha no Real, foi surpreendida pela cobrança de R$ 2,50 pelo extrato mensal enviado à sua casa.
 
– Eles disseram que era pelo custo do papel e que eu podia cancelar o recebimento via correio e passar a checar na internet. Foi o que fiz. Mas cheguei a ser cobrada vários meses sem me tocar – lembra Mariana.
 
A jovem, que certa vez levou um puxão de orelhas da mãe porque exagerou nos gastos com cartão de crédito, garante que aprendeu a lição. “Hoje sou bem controlada. Até pela profissão que escolhi. Tive que aprender a contar somente com o que ganho”, conta.
 
Endividamento
 
Para Hessia Costilla, da Pro Teste, os jovens devem recusar o cartão de crédito e pedir a retirada do limite automático de cheque especial. “É o que mais leva ao endividamento e são produtos que o jovem ainda não precisa”, observa.
 
Atualmente, os bancos vão além do papel de oferecer linhas de créditos e opções de investimento. O Bradesco tem um site exclusivo com cursos online gratuitos em diversas áreas, orientação sobre carreiras e mercado de trabalho, além de dar dicas para a organização da formatura, montagem de currículos e manter uma sessão para o cadastro de vagas de estágio.
 
Bradesco, Itaú/Unibanco e Real/Santander ainda oferecem a conta de comissão de formatura, onde dois a três estudante podem arrecadar o dinheiro para a organização da festa de final de curso e colação de grau e até viagem da turma.

Veículo: Jornal do Brasil 01/03/2010