Leasing pode ajudar a estimular vendas de carros, diz Anfavea

Em entrevista à agência Bloomberg, o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan Yabiku , disse que negocia com o governo ajustes nas regras de arrendamento mercantil de automóveis. Segundo ele, o leasing é uma modalidade de crédito que pode ajudar a incrementar as vendas de carros novos. Há seis anos essa modalidade de crédito equivalia a 40% das vendas de veículos, mas diminuiu para cerca de 1% em 2013.

A recuperação do leasing ajudaria a garantir o crescimento do mercado automobilístico nacional, o quarto maior do mundo. A previsão da Anfavea é que a produção de veículos poderia subir para 5,7 milhões de unidades em 2017, ante 4,3 milhões este ano. "Um retorno ao leasing seria um estímulo importante", afirma o presidente da Anfavea.

Sem a renovação dos estímulos para a indústria automobilística no próximo ano, como a redução do IPI, as vendas de automóveis tendem a cair, o que deve tornar o leasing uma medida compensatória importante, disse Moan. O objetivo da Anfavea , em suas discussões com o Congresso e outras autoridades, é assegurar que os bancos que fazem arrendamento mercantil não sejam responsabilizados pelas dívidas dos condutores, afirma Moan.

"O leasing tem desempenhado um papel importante no desenvolvimento do País e da indústria", disse Osmar Roncolato Pinho, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Leasing (ABEL). Em entrevista por telefone à Bloomberg, Pinho comentou que o mercado de leasing chegou a representar mais de R$ 100 bilhões no auge, há cerca de sete anos, e agora caiu para R$ 35 bilhões.

A insegurança jurídica é citada pelo presidente da ABEL como uma das razões para o leasing ter deixado de ser competitivo. Ele se refere à discussão judicial sobre o local de cobrança do ISS. Alguns municípios estavam cobrando o imposto no local da prestação do serviço, mesmo depois de já ter sido pago pelas instituições financeiras no município sede. "Essa discussão tem criado uma insegurança jurídica muito grande", disse Pinho. "Como havia outras opções de financiamento disponíveis, o leasing acabou perdendo a sua vantagem competitiva", afirma Pinho.

 

Veículo: Agência Bloomberg – edição de 27 de setembro