Bancos anunciam redução dos juros

Após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de cortar a Selic (taxa básica de juros) em 1,5 ponto porcentual, vários bancos anunciaram a redução dos juros dos empréstimos para pessoas físicas e jurídicas.

No Bradesco, as mudanças valem a partir de hoje. Para pessoas físicas, a taxa mínima do cheque especial cai de 4,78% ao mês para 4,70% e a máxima, de 8,56% para 8,44% ao mês. No crédito pessoa física, a mínima será de 3,26% ao mês e a máxima de 5,81%. A linha para financiamento de veículos também teve redução. No CDC a mínima passou de 1,62% ao mês para 1,55% e a máxima caiu de 2,68% ao mês para 2,62% ao mês. Na modalidade leasing, o piso passou de 1,86% para 1,75% e o teto de 2,79% para 2,69% ao mês.
 
Para as pessoas jurídicas, a taxa mínima de capital de giro foi reduzida de 2% ao mês para 1,98% ao mês e a máxima de 5,04% ao mês para 5,02%.
 
O Itaú passou as taxas máximas do crediário automático para pessoas física e jurídica de 7,01% ao mês para 6,89% ao mês. Já o cheque especial teve a taxa máxima cortada de 8,87% ao mês para 8,75% ao mês. "Estamos dando nossa contribuição para o estímulo à atividade econômica no Brasil. Ao reduzir novamente suas taxas de juros, o Itaú reforça seu compromisso com o País incentivando a expansão da oferta de crédito", afirmou em nota
 
Roberto Setubal, presidente do banco. As novas taxas entrarão em vigor a partir de segunda-feira.
 
Na mesma data passam a valer as novas taxas do Unibanco: os juros máximos do crédito pessoal parcelado e do cheque especial da pessoa física foram reduzidos em 0,12 ponto porcentual ao mês, o que equivale a 1,5 ponto no ano, seguindo a redução da Selic. A redução também ocorrerá nas taxas máximas cobradas no cheque especial e no capital de giro para pessoas jurídicas.
 
O Banco do Brasil informou que, em relação às empresas, a instituição alterou as taxas mínimas do cheque especial de 5,23% ao mês para 5,11%. As máximas foram reduzidas de 7,81% para 7,69% ao mês. Nas linhas de crédito destinadas às pessoas físicas, foram reduzidas as taxas de cheque especial, de 7,91% para 7,85% ao mês, e de cartão de crédito, de 3,97% a 4,31% para 3,93% a 4,29% ao mês.
 
O Santander informou que vai baixar a taxa do cheque especial de 9,7% para 9,57% ao mês. A taxa máxima de crédito pessoal passa de 6,36% para 6,23% ao mês. 

Veículo: O Estado de são Paulo