Bancos anunciam queda de juros após corte na taxa básica

Os bancos anunciaram, logo depois do anúncio de corte de 1,5 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic), que foi de 12,75% para 11,25% ao ano, a diminuição das taxas de juros cobradas em suas operações de crédito.

O Banco do Brasil informou que reduzirá os juros cobrados nas linhas de crédito destinadas às pessoas físicas e jurídicas. Em relação às empresas, a instituição anunciou que as taxas mínimas do cheque especial passaram de 5,23% ao mês para 5,11%. As máximas foram reduzidas de 7,81% para 7,69% ao mês.
 
Nas linhas de crédito destinadas às pessoas físicas, foram reduzidas as taxas de cheque especial, de 7,91% para 7,85% ao mês, e de cartão de crédito, de 3,97% a 4,31% para 3,93% a 4,29% ao mês.
 
O Bradesco irá reduzir as taxas de juros cobradas das pessoas físicas e jurídicas a partir de hoje. Para as pessoas físicas, a taxa mínima do cheque especial irá cair de 4,78% ao mês para 4,70% e a máxima, de 8,56% para 8,44% ao mês. No crédito à pessoa física, a mínima será de 3,26% ao mês e a máxima, de 5,81%, reduções de, respectivamente, 0,05 ponto e 0,1 ponto percentual. As taxas da linha para financiamento de veículos também tiveram redução. No CDC a mínima passou de 1,62% ao mês, para 1,55%, e a máxima foi reduzida de 2,68% ao mês para 2,62%. Na modalidade leasing, o piso passou de 1,86% para 1,75% e o teto de 2,79% para 2,69% ao mês. Para as pessoas jurídicas, a taxa mínima de capital de giro foi reduzida de 2% ao mês para 1,98% ao mês e a máxima de 5,04% ao mês para 5,02%. As taxas da conta garantida foram reduzidas para 2,05% para 6,96%, queda de 0,5 ponto tanto na taxa mínima quanto na máxima.
 
O Unibanco comunicou a redução de suas taxas máximas de juros cobradas no crédito pessoal parcelado e no cheque especial em 0,12 ponto nas taxas mensais, o que equivale a 1,5 ponto no ano, seguindo a redução da Selic. O Itaú reduziu para pessoa física o juro do cheque especial, de 8,87% para 8,75%, e para pessoa jurídica a linha Giropré foi cortada para 6,89%, ante 7,01%.
 
O Grupo Santander, que reúne Santander e Real, repassará a redução de 1,5 ponto da Selic para crédito pessoal (de 6,36% para 6,23%), cheque especial (de 9,70% para 9,57%), crédito consignado (de 1,65% para 1,52%) e cartões de crédito (de 12,85% para 12,70% ao mês).
 
 

Veículo: DCI