Carteira de financiamento a veículos cresce 23,7% em 2008

Apesar da crise e da consequente redução no volume de novos negócios no último trimestre, as operações de crédito para a compra de veículos encerraram o ano passado em R$ 138,1 bilhões, alta de 23,7% sobre a carteira do ano anterior, mas uma expansão bem abaixo dos 44,2% apurados no comparativo entre 2006 (R$ 77,4 bilhões) e 2007 (R$ 111,6 bilhões). Quando relacionada à carteira de R$ 138,6 bilhões do final de setembro houve queda, contudo. Ante o estoque de R$ 136,8 bilhões de novembro, o segmento mostra leve alta de 0,95%.

Os números são da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef) e ficaram dentro do esperado pela entidade, de alta entre 20% e 25%. Luiz Montenegro, presidente da Anef, disse que em janeiro também houve recuperação. "Sentimos uma maior procura, mas a pesquisa ainda não está fechada", afirmou, sem arriscar estimativas para 2009. Do total, as operações de leasingquase dobraram, passando de R$ 30,1 bilhões em 2007 para R$ 56,7 bilhões ao final de dezembro. Sobre o estoque de novembro, a evolução foi de 1,6%. O crédito direto ao consumidor (CDC) subiu apenas 0,5% no comparativo mensal, fechando dezembro em R$ 81,4 bilhões, quase empatado ao estoque de R$ 81,5 bilhões de 2007. Em setembro, essa carteira chegou a R$ 83, 6 bilhões.
 
A recuperação é consequencia das promoções da montadoras e das medidas de incentivo do governo federal, disse Montenegro, observando que o crédito ainda está escasso no mercado interbancário, influenciando negativamente no aumento da oferta de linhas, em especial, dos pequenos e médios bancos. A seletividade na concessão também está maior, em virtude de incertezas sobre os impactos da crise nos níveis de emprego e inadimplência, que subiu, passando de 3% para 4,3% no CDC , conforme a Anef.

 Veículo: Gazeta Mercantil