Leasing e crédito direto recuam em novembro

As operações de leasing e crédito direto ao consumidor (CDC) em financiamentos de veículos apresentaram em novembro leve retração em relação a outubro, de 0,87%, a um total de R$ 136,8 bilhões. No período, o CDC se manteve praticamente estável, com leve alta de 0,2% do CDC, a R$ 81 bilhões, enquanto o leasing sofreu queda de 1,6%, e chegou a R$ 55,8 bilhões. Em comparação com o ano passado, houve uma alta de 27,1%, segundo dados da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef). As duas carteiras representam 34,9% do total de crédito concedido no mercado para pessoas físicas. 

Segundo o presidente da entidade, Luiz Montenegro, a escassez de recursos deveu-se muito mais a questões de confiança do que propriamente de liquidez do sistema financeiro. "Em algum momento em 2009 e, provavelmente, a partir do segundo trimestre, os recursos financeiros passem a fluir de maneira mais regular para o crédito". Para ele, ainda é cedo para projeções de performance em 2009.
 
Em relação aos juros, houve queda em relação a outubro, com média de 1,82% ao mês e 24,16% ao ano em, novembro, ante taxas de 1,86% a.m. e 24,75% a.a no mês anterior. Além disso, a inadimplência acima de 90 dias registrada em novembro apresentou uma elevação de um ponto percentual em comparação ao mesmo período do ano passado, de 3,1% para 4,1% da carteira. Em relação a outubro passado, a alta foi de 0,8 ponto percentual. 
 
Os prazos também caíram em relação a novembro de 2007, de no máximo 84 meses para 60 meses, com média de 39 meses.

 

 

Veículo: DCI Finanças 08/1/09 Estado: SP