R$ 6 bilhões para a compra de carteira

O Bradesco informou que pode comprar até R$ 6 bilhões em carteiras de crédito de pequenos e médios bancos se usar plenamente a liberação de compulsório sobre depósitos a prazo. O banco já recebeu ofertas de 20 instituições financeiras interessadas em vender suas carteiras no valor global de R$ 10,77 bilhões.

Desse total, já foram analisadas R$ 7,331 bilhões. Não se enquadraram nas exigências do banco R$ 2,6 bilhões em operações e R$ 4,6 bilhões foram selecionadas.

O Bradesco já comprou carteiras com nove instituições no valor total de R$ 1,428 bilhão e, "entre hoje e amanhã" serão liberados mais R$ 1,587 bilhão para seis instituições, informou o presidente do Bradesco, Márcio Cypriano, ontem durante a apresentação dos resultados do terceiro trimestre.

Cypriano esclareceu que, embora a compra de carteiras seja uma operação corriqueira, exige algum tempo de modo que as "liberações não saem na velocidade que se quer". �? preciso avaliar os créditos e ver como se encaixam no nas exigências do Bradesco. Concluída essa tarefa, é necessário resolver questões de cobrança de modo a garantir que o pagamento do crédito será transferido para o banco.

O Bradesco informou que tem R$ 5,194 bilhões em carteiras de crédito adquiridas de instituições financeiras anteriormente, em operações "de rotina", sem o benefício da liberação do compulsório, envolvendo financiamento de veículos e consignado. De fato, o Bradesco tem operações de parceria antigas de aquisição de créditos gerados pelo BGN, Ibi e GE Money.

Além disso, o Bradesco operacionaliza as compra de carteira realizadas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). O FGC já comprou oito carteiras no valor total de R$ 965 milhões. O processo é diferente do realizado pelos bancos e envolve a montagem de fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC). �? o Bradesco que realiza a parte operacional.

O Bradesco teve R$ 6,3 bilhões liberados em compulsório, entre recursos dos depósitos a prazo (R$ 1,7 bilhão), redução do adicional dos depósitos (R$ 3,8 bilhões) e do depósito a vista (R$ 800 milhões).

Do compulsório sobre as operações interbancárias em leasing, o banco terá R$ 4,5 bilhões liberados para compra de moeda estrangeira; e R$ 1 bilhão em aumento de exigibilidade para crédito rural, que o banco disse que será rapidamente atendida.

Veículo: Valor Econômico Índice Gera 28/10/08 Estado: SP