QUEDA

O setor de leasing já começou a sentir os reflexos da crise, segundo Rafael Cardoso, presidente daAbel (Associação Brasileira das Empresas de Leasing). "A partir de setembro, o tomador de recursos começou a ficar desconfiado em razão de toda essa crise." A única certeza de Cardoso é que o volume de operações vai cair. "Ainda não sei em que proporção, não dá para prever." O aumento dos custos e a redução dos prazos provocados pela crise diminuiu a confiança do consumidor. O que mais contribui para o cenário desfavorável nos negócios de leasing são as operações referentes a automóveis para pessoas físicas, que representam cerca de 75% dos negócios.

  

Veículo: Folha de S. Paulo Dinheiro 19/10/08 Estado: SP