Denatran estuda mudanças no registro de veículos financiados

Os investidores estão cautelosos em relação à Cetip devido à possibilidade de mudanças na forma como são registradas as garantias de veículos financiados, informa o jornal Valor Econômico. Afinal, uma mudança poderia causar riscos potenciais à unidade de financiamentos da Cetip, que teve receita de R$ 88,2 milhões no primeiro trimestre, respondendo por 36% do total.

Está em estudo no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) a centralização dos registros de gravames, que indicam se o veículo está sendo financiado, o que pressionaria parte das receitas da Cetip. No modelo atual, a Cetip, que opera desde 2010 o Sistema Nacional de Gravames (SNG), pega a informação com os bancos que originam os financiamentos dos veículos e a leva, por meio da Federação Nacional de Seguros Gerais (Fenaseg), associação do mercado segurador, para os Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans).

Outra dificuldade enfrentada pela Cetip está em questionamentos feitos pelos Detrans em relação à falta de concorrentes à empresa nesse mercado. Uma última preocupação está relacionada ao crescente número de Estados que estão deixando, total ou parcialmente, de trabalhar com a plataforma da Cetip responsável pelo registro, no Detran, de dados do contrato de crédito.

Os temores se refletem nas ações da companhia, cujos papéis perderam 1,46% e encerraram o mês passado em R$ 22,84. Analistas do J. Safra e do J.P. Morgan afirmam estar preocupados com tais ameaças competitivas, informa o Valor Econômico. Para tentar acalmar o mercado, a Cetip diz que pretende oferecer aos bancos algum tipo de ferramenta que facilite a conexão com os diferentes sistemas adotados pelos Detrans.

Veículo: Jornal Valor Econômico – edição de 08/07/2013