Crédito para veículos foi de R$ 204,3 bilhões em agosto, aponta Anef

Com redução da inadimplência, bancos continuam a investir na carteira.
Índice de inadimplência acima de 90 dias ficou em 5,9% no mês.

O setor de financiadoras de veículos acompanha a tendência de retração dos índices de inadimplência nos contratos definanciamento para pessoas físicas, de acordo com balanço divulgado pela Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), nesta terça-feira (9). O aumento na soma dos saldos de crédito para CDC e leasing para pessoa física correspondeu a R$ 204,3 bilhões no mês de agosto, 0,4% superior a julho, quando o saldo era de R$ 203,4 bilhões. Quando comparado ao mesmo período de 2011, a alta foi de 3,5%.

“Após longo período de altas consecutivas e sinais de estabilização nos últimos dois meses, o mês de agosto apresentou retração de 0,1 p.p na quantidade de acordos com mais de 90 dias de atraso e fechou o período em 5,9% do Saldo da Carteira de Veículos contra 6% do mês de julho”, diz o balanço.

Durante o mês de agosto a liberação de crédito para aquisição de veículos financiados (CDC) foi de R$ 9,478 milhões, o que representou um acréscimo de 13,1% em 30 dias, mas um decréscimo de 0,6% no período de doze meses.
“Desde o início de 2011, os índices de inadimplência acenderam a luz de alerta de todo o setor, o que levou os bancos a aumentarem as exigências para concessão de crédito. Além da queda nas taxas de juros, com a redução do IPI e, posteriormente, com a prorrogação do benefício, ocorreu o retorno ao mercado de um público com renda maior e com melhores garantias de pagamento. Como consequências, tivemos um aumento de recursos liberados e uma melhora no nível de adimplência”, aponta o presidente da Anef, Décio Carbonari. Segundo a entidade, este é o primeiro passo para uma tendência de queda que deve ocorrer nos próximos meses.

O saldo de crédito para aquisição de veículos por pessoas físicas manteve-se correspondendo a 4,7% do PIB nacional (estimado em R$ 4,333 trilhões), 0,2 p.p menor que em agosto de 2011. O montante corresponde a 9,2% do total do crédito e representa 29,1% do total do crédito destinado às pessoas físicas no Brasil.

A taxa média de juros praticada pelas associadas da Anef no mês de agosto de 2012 apresentou queda no mês. Com baixa de 0,2 ponto percentual sobre o período de julho, representou 1,28% ao mês (16,49 ao ano) contra 1,30% em julho. A taxa média praticada pelomercado em agosto passou a ser de 1,57% ao mês (20,52% ao ano) quando em julho havia sido de 1,60% ao mês (20,95% ao ano).

Planos e modalidades
Os planos de financiamentos seguem com prazo máximo de 60 meses e os planos médios seguem estabilizados em torno de 40 meses até o mês de julho, frente os 43 meses no mesmo período de 2011, de acordo com o balanço.

Veículo: Globo.com