Operações de crédito crescem 17% nos últimos 12 meses

Segundo o Banco Central, entre as operações que mais cresceram em agosto está a do crédito rural, que subiu 3,4% no período, para R$ 151,287 bilhões. Ainda no setor privado, o crédito para a indústria subiu 0,2% em agosto (R$ 439,105 bilhões), habitação avançou 3,2% (R$ 250,039 bilhões) e o crédito para o comércio registrou retração de 0,2% no período, totalizando R$ 213,658 bilhões em agosto.

O total de empréstimos para o setor público chegou a R$ 105,665 bilhões, uma alta de 1,5% de julho para agosto, puxada principalmente pelo crédito concedido ao governo federal, de R$ 61,398 bilhões, o que representa uma elevação de 1,8%.

O BC informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) subiu para 51% em agosto, de 50,8% em julho.

Crédito habitacional

As operações de crédito para habitação cresceram 3,2% na comparação entre julho e agosto, totalizando R$ 250,039 bilhões. Nos últimos 12 meses até o mês passado, o crescimento foi de 38,6%.

No crédito direcionado para habitação, a expansão foi de 37,3% nos últimos 12 meses até agosto, para R$ 231,915 bilhões. Já no crédito livre para a aquisição de imóveis, o crescimento foi de 57,4% no mesmo período, para R$ 18,124 bilhões.

Veículos

O total de operações de crédito para compra de veículos por pessoas físicas subiu 0,4% de julho para agosto, atingindo um total de R$ 204,322 bilhões. No acumulado do ano, a expansão do crédito para esse fim é de 1,7% e no acumulado em 12 meses até agosto, a alta é de 3,5%.

O crescimento das operações se exclusivamente nos financiamentos realizados por meio do crédito direto ao consumidor, que registrou expansão mensal de 1,2% e de 13,5% no acumulado de 12 meses até agosto. Já as operações de leasing registraram forte queda: de 6,8% de julho para agosto e de 45,7% em 12 meses até o mês passado.

Bancos públicos

O Banco Central informou que a participação dos bancos públicos no total da carteira de crédito subiu para 45,7% em agosto, de 45,5% em julho. Nas instituições privadas nacionais e estrangeiras, a participação recuou 0,1 ponto porcentual em cada, para 37,5% e 16,8%, respectivamente, na mesma base de comparação. 

As operações com recursos livres (63,8% do total do sistema financeiro) atingiram R$ 1,4 trilhões em agosto, alta de 1% no mês e 15% em 12 meses. O saldo de crédito direcionado atingiu R$ 800 bilhões, com elevações de 1,6% no mês e 20,6% em 12 meses. Os financiamentos concedidos pelo BNDES aumentaram 0,2% em base mensal, somando R$ 443 bilhões.

Base monetária

A base monetária encerrou o mês de agosto com contração de 0,2%, na comparação com julho, pelo conceito da média diária de dias úteis. A base alcançou R$ 196,988 bilhões na média diária no mês passado. Por esse conceito, o valor apresenta crescimento de 9,6% nos doze meses encerrados em agosto.

A base monetária é a soma do total de papel moeda emitido com as reservas bancárias registradas pelas instituições financeiras. 

Pelo conceito de saldo no final do período, a base monetária ficou estável em agosto ante julho e alcançou R$ 203,575 bilhões no mês passado. Em doze meses, a base apresenta expansão de 13,5% no final do período. 

Veículo: O Estado de São Paulo