Após anúncio de Bradesco, Itaú e BB, Caixa também corta juros

Por Lucas Sampaio

Após Banco do Brasil, Bradesco e Itaú Unibanco divulgarem reduções nas taxas de juros que acompanharam o corte de 0,5 ponto percentual na Selic, a Caixa foi mais ousada e anunciou o corte de até 68% em uma linha para pessoas jurídicas e 32% para pessoas físicas.

A taxa máxima para cheque especial de pessoas físicas, porém, não foi alterada --permaneceu em 4,27% ao mês.

Na quarta-feira, o BC (Banco Central) diminuiu para 7,5% ao ano a Selic, taxa básica de juros da economia brasileira. A decisão do Copom (Comitê de Política Monetária) do BC reduziu os juros ao menor patamar da história.

O Bradesco foi o primeiro banco a anunciar a mudança, ainda na quarta-feira. Na quinta foi a vez do Itaú, e hoje, do Banco do Brasil e da Caixa. Os três primeiros bancos fizeram cortes, em sua maioria, de até 0,4 ponto percentual.

Para pessoas jurídicas, a Caixa cortou o juro no cartão empresarial em 4,12 ponto percentual --de 6,02% para 1,90%--, queda de 68,4%. Para pessoas físicas, a maior redução foi do crédito aporte auto, de 0,59 ponto percentual --de 1,84% para 1,25%--, queda de 32,07%.
Todas as novas taxas passam a vigorar a partir de segunda-feira (3).

CAIXA
A Caixa cortou as taxas muito mais agressivamente que os outros três concorrentes. No caso do cartão empresarial (parcelado com juros), a redução da taxa única foi de 68,4% --caiu de 6,02% ao mês para 1,9%. No cartão empresarial (rotativo), a queda foi de 20,6% --queda de 8,82% para 7,00%.

A modalidade capital de giro com fundo garantidor de operações caiu 31,68% --de 1,61% para 1,10%. A taxa do cheque especial para empresa com domicílio bancário caiu 4,76% --de 4,2% para 4%. O crédito especial para empresa (prefixado) teve diminuição de 7,27% --de 2,75% para 2,55% ao mês-- na sua taxa mínima e de 6,83% --de 2,93% para 2,73% ao mês-- em sua taxa máxima.

Para pessoas físicas, as reduções foram menos drásticas --mas, ainda assim, alguns cortes chegaram a 32%.

O crédito aporte auto (garantia de veículo) caiu 32,07% na taxa mínima --de 1,84% para 1,25% ao mês-- e 24,64% na taxa máxima --de 2,11% para 1,59%. O crédito aporte (garantia de imóvel) teve queda de 25,19% na taxa mínima --de 1,31% para 0,98% mensais-- e de apenas 1,99% na taxa máxima --de 1,51% para 1,48%.

A taxa única de antecipação do 13º salário caiu 3,79% --de 2,90% para 2,79% ao mês. A mínima do cheque especial diminuiu 3,70% --de 1,35% para 1,30%-- e a máxima não teve redução --permaneceu em 4,27%.

BRADESCO
O Bradesco reduziu a taxa de juros de quatro produtos para pessoa física e três para pessoa jurídica em 0,04 ponto percentual.
Para pessoa física, caiu a mínima do crédito pessoal --de 1,89% para 1,85% ao mês--, as taxas mínimas e máximas das linhas CDC Veículos --de 0,89% para 0,85% ao mês e de 2,87% para 2,83%, respectivamente--, Leasing Veículos --de 1,59% para 1,55% ao mês e de 2,92% para 2,88%, respectivamente-- e fnanciamento de bens e serviços --de 2,36% para 2,32% ao mês e de 4,83% para 4,79% ao mês, respectivamente--. No cheque especial, a taxa de juros mínima permaneceu em 3,95 % ao mês.
Para empresas, o Bradesco diminuiu também em 0,04 ponto percentual as taxas mínimas e máximas para empréstimo de capital de giro --de 2,35% para 2,31% ao mês e de 5,29% para 5,25% ao mês, respectivamente-- e antecipação de recebíveis de duplicatas, cheques e cartão de crédito --de 2,01% para 1,97% ao mês e de 4,50% para 4,46% ao mês, respectivamente--. A mínima da conta garantida também caiu --de 3,21% para 3,17% ao mês.

ITAÚ
O Itaú cortou as taxas máximas do crédito pessoal e do cheque especial em 0,04 ponto percentual ao mês para todos os clientes: as taxas mínimas e máximas do crediário pessoal passaram de 2,41% para 2,37% ao mês e de 6,62% para 6,58% ao mês, respectivamente, e as do cheque especial foram de 5,20% para 5,16% ao mês e de 8,81% para 8,77% ao mês, respectivamente.

Para clientes do Itaú Empresas, será reduzida a taxa máxima de juros do cheque especial de 8,81% ao mês para 8,77%, do capital de giro de 5,42% ao mês para 5,38% e na antecipação de recebíveis de duplicatas, cheques e cartão, de 4,82% ao mês para 4,78%.

BB
O Banco do Brasil diz que o repasse das seguidas quedas da Selic desde agosto do ano passado fez as taxas do banco caírem até 79% --no caso do rotativo do cartão de crédito-- nos últimos 12 meses. Hoje, reduziu em 0,04 ponto percentual as taxas mínimas de três produtos para pessoas físicas e em 0,02 ponto percentual quatro produtos para jurídicas.
Para pessoas físicas, a mínima mensal do crédito benefício caiu de 2,21% para 2,17%, a do crédito automático foi de 1,93% para 1,89% e a do crédito para material de construção diminuiu de 1,53% para 1,49%.

Para pessoas jurídicas, a mínima mensal do BB Giro APL com fundo garantidor de operações foi de TR 1,598% para TR 1,578%, a do BB Giro Saúde decresceu de TR 1,560% para TR 1,540%, a do BB Giro Empresa Flex caiu de 1,199% para 1,179% e a do BB Giro Recebíveis diminuiu de 1,186% para 1,166%.

 


Veículo: JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO, O ESTADO DE SÃO PAULO E VALOR ECONÔMICO