Crédito deve crescer 16,6% em 2012 e 16% em 2013, aponta pesquisa

Estudo da Febraban revela também que a expectativa das instituições financeiras é de que o PIB cresça 3,3% neste ano e 4,2% em 2013

As operações de crédito da carteira total do Sistema Financeiro Nacional (SFN) deverão crescer 16,6% em 2012 e 16% em 2013, segundo a mediana das expectativas de 31 instituições consultadas entre os dias 15 e 20 de março na Pesquisa de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado, realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Na pesquisa anterior, realizada em janeiro, a previsão era de uma expansão de 16,5% no volume de concessões de crédito neste ano e de 15,8% em 2013.

Para as operações de crédito com recursos direcionados, a pesquisa atual aponta para um crescimento de 17,9% neste ano e de 17% em 2013. As operações de crédito com recursos livres devem fechar este ano com expansão de 15,6% e 2013 com alta de 15%.

As operações de crédito para Pessoa Física com recursos livres, segundo as previsões dos bancos, devem encerrar 2012 com expansão de 15,6%. Para 2013, a expectativa é de alta de 15%. As operações de crédito para Pessoa Física, incluindo consignado, deverão crescer 16,4% em 2012 e 14,9% em 2013. Para as operações de crédito para Pessoa Física direcionadas à aquisição de veículos, incluindo leasing, as previsões são de uma expansão de 15,3% em 2012 e de 14,9% em 2013.


Para Pessoa Jurídica, o crédito com recursos livres deverá aumentar 15,4% neste ano e 15,1% em 2013. No que diz respeito à inadimplência - atrasos acima de 90 dias -, a previsão dos bancos para este ano é de que a taxa atinja 5,3% e, para o ano que vem, 5,1%.


PIB

O Produto Interno Bruto (PIB) deverá encerrar este ano com crescimento de 3,3%, segundo a mediana das expectativas de 31 instituições financeiras que participaram da pesquisa feita pela Febraban. Para 2013, os analistas esperam uma expansão do PIB de 4,2%. Na pesquisa anterior, realizada em janeiro, a projeção dos bancos apontava para uma expansão de 3,4% do PIB em 2012 e de 4,1% em 2013.

Para o IPCA, o levantamento atual mostra que a mediana das expectativas para este ano é de que a inflação feche em 5,3%, mesma taxa da pesquisa anterior. Para 2013, os analistas esperam 5,5%, um crescimento em relação aos 5,1% apontados na edição anterior da pesquisa.

A taxa básica de juros, a Selic, deverá terminar 2012 em 9% ao ano e 2013 em 9,75% ao ano, segundo os bancos que participaram da pesquisa. Na edição anterior, os analistas esperavam que a Selic encerrasse os anos de 2012 e 2013 em 9,5%.

Para o dólar, a mediana das expectativas dos bancos é de que a moeda norte-americana fechará o ano cotada a R$ 1,76. Em 2013, as instituições esperam que o dólar encerre em R$ 1,80. Na pesquisa anterior, os analistas esperavam que o câmbio encerrasse o ano de 2012 em R$ 1,79 e o de 2013 em R$ 1,77.

Superávit primário 

O superávit primário do setor público consolidado deve atingir 3% do PIB no fechamento deste ano, segundo a pesquisa. Para 2013, a projeção é também de um resultado fiscal de 3% do PIB.


Na pesquisa anterior, realizada em janeiro, a previsão dos bancos consultados era de um primário do setor público consolidado de 2,8% para 2012 e 2013.

A dívida líquida do setor público na proporção do PIB deverá encerrar 2012 em 36,1% e 2013 em 34,8%. Na pesquisa anterior, as previsões eram de uma dívida de 36,9% na proporção do PIB em 2012 e de 35,8% em 2013.

Veículo: O Estado de São Paulo - 22/03/2012